Reflexão

Quando a beira da morte, Alexandre, O Grande, convocou os seus generais e relatou seus três últimos desejos:

– Que seu caixão fosse transportado pelas mãos dos médicos da época;

– Que fossem espalhados no caminho os seus tesouros conquistados (prata, ouro, pedras preciosas…);

– Que suas duas mãos fossem deixadas balançando no ar, fora do caixão, à vista de todos. Um dos seus generais, admirados com esses desejos insólitos, perguntou a Alexandre quais as razões. Alexandre explicou:

– Quero que os mais eminentes médicos carreguem meu caixão para mostrar que eles não têm poder de cura perante a morte;

– Quero que o chão seja coberto pelos meus tesouros para que as pessoas possam ver que os bens materiais aqui conquistados, aqui permanecem;

– Quero que minhas mãos balancem ao vento para que as pessoas possam ver que de mãos vazias viemos e de mãos vazias partimos.

Alexandre, O Grande, nasceu em 20 de julho de 356 a.C em Pela (ou em Vergina) e morreu em 10 de junho de 323 a.C., na Babilônia, com apenas 33 anos. Viveu o mesmo tanto que Cristo viveu. Depois de realizar todas as conquistas e vitórias, depois de alvoroçar o mundo na sua época, descobriu que nada se levava da terra, que não adiantava ir tão longe sem a realização de vida, que nenhum homem vencia a morte. Homens hoje, como Bill Gates, Steve Jobs, que modificaram o mundo com o desenvolvimento da informática; ou ainda Mark Zuckerberg, criador do Facebook, rede social através da qual é possível conhecer milhões de pessoas em pouco tempo, tem alvoroçado o mundo, mas não conseguiram transformar o homem, torná-lo mais humano, realizado e feliz  e com poder de vencer a morte.

Jesus Cristo, sem o poder da informática, formou a maior rede social começando com apenas 12 homens e ainda é o único com poder de vencer a morte.






AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

2 Comentários

  • 11 out 2011 | Permalink |

    Eh para se parar, pensar, refletir, pois não somos nada. Fico imaginando as pessoas q têm o Rei/Rainha na barriga, vivem como se nunca fossem morrer e prestar conta um dia.
    Machucam os outros, humilham, pisam e quando morrem, são enterrados no mesmo cemitério e nem se tem a certeza de q vão para o mesmo lugar. Todos somos filhos de Deus e ninguém é nada, além de um sopro de vento, q a aqualquer hora poderá deixar de existir. Obrigado por essa reflexão, queridos meninos.

    “O comentário não representa a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem”

  • 16 out 2011 | Permalink |

    O Sapo e a Rosa

    Era uma vez uma rosa muito bonita, que se sentia envaidecida ao saber que era a mais linda do jardim.

    Mas começou a perceber que as pessoas somente a observavam de longe.

    Acabou se dando conta de que, ao seu lado, sempre havia um sapo grande, e esta era a razão pela qual ninguém se aproximava dela.

    Indignada diante da descoberta, ordenou ao sapo que se afastasse dela imediatamente.

    O sapo, muito humildemente, disse:

    – Está bem, se é assim que você quer…

    Algum tempo depois o sapo passou por onde estava a rosa, e se surpreendeu ao vê-la murcha, sem folhas nem pétalas.

    Penalizado, disse a ela:

    – Que coisa horrível, o que aconteceu com você?

    A rosa respondeu:

    – É que, desde que você foi embora, as formigas me comeram dia a dia, e agora nunca voltarei a ser o que era.

    O sapo respondeu:

    – Quando eu estava por aqui, comia todas as formigas que se aproximavam de ti. Por isso é que eras a mais bonita do jardim…

    ***

    Muitas vezes desvalorizamos os outros por crermos que somos superiores a eles, mais “bonitos”, de mais valor, ou que eles não nos servem para nada. Deus não fez ninguém para “sobrar” neste mundo. Todos temos algo a aprender com outros ou a ensinar a eles, e ninguém deve desvalorizar a ninguém. Pode ser que uma destas pessoas, a quem não damos valor, nos faça um bem que nem mesmo nós percebemos.

    Que Deus nos abençoe e nos ajude a enxergar a “beleza” dos outros.

    “O comentário não representa a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.”

Deixe um comentário

Adicione seu comentário abaixo . Você também pode assinar estes comentários via RSS.

Seu email não será divulgado. Os campos que estão * são obrigatórios.