Prefeito de Tremedal culpa “clima” por título de pior cidade do Brasil em desenvolvimento econômico

O município de Tremedal, na região Sudoeste, foi considerada a pior cidade em desenvolvimento econômico de todos os 5.565 municípios existentes no país, segundo o Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM), um estudo anual da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan).

O prefeito da cidade, José Bahia (PP), revelou que o município não tem investimento privado nenhum.

“Dos 17,7 mil habitantes, 1,5 mil trabalham na prefeitura e outros 4 mil vivem do Bolsa Família. A maioria vai embora para São Paulo, sempre foi assim” , relata. Segundo ele, a maior dificuldade está no clima da região: “O município fica no semiárido, e 60% da população vive na zona rural. Como temos grandes problemas com a seca,com a falta d´água, fica difícil administrar”, relata Bahia.

Fonte: Blog da Resenha Geral

AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

4 Comentários

  • 3 dez 2012 | Permalink |

    Agora é só jogar a culpa em São Pedro que fica fácil…

    “O comentário não representa a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem”

  • 4 dez 2012 | Permalink |

    O ministerio publico deveria verificar as contas do Sr Bahia e da mulher Dagmar ´pois são altamentes corruptos.

    “O comentário não representa a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem”

  • 6 dez 2012 | Permalink |

    No meu entendimento, foi falha nos sistemas de informação das secretarias de saúde, educação e serviço social. Acho que o atual prefeito fez uma boa administração.

    “O comentário não representa a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem”

  • 9 dez 2012 | Permalink |

    Ainda bem que só tem seca em Tremedal. Achei que todo o Nordeste chovia pouco. Que é isso Doutor?

    “O comentário não representa a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem”

Deixe um comentário

Adicione seu comentário abaixo . Você também pode assinar estes comentários via RSS.

Seu email não será divulgado. Os campos que estão * são obrigatórios.