Tempo de Natal

Por Agnério Evangelista A Revista Família Cristã do mês de Dezembro/2012, publicou importante reportagem sobre “Missão Impossível” pp. 60 a 62, baseada no nascimento de Jesus de Nazaré. Relata o periódico que cerca de dois bilhões e trezentos milhões de pessoas no mundo são cristãs; acreditam, portanto, que Jesus nasceu há 2012 anos em Belém na Judeia, segundo as profecias. Fato comprovado no Evangelho de Lucas, 2,1-14. O povoado era pobre e carente, a ponto da criança ter nascido em uma manjedoura, lugar onde se deposita comida para animais. O Rei do Universo vem ao mundo ao meio do relento, como acontece hoje com pessoas pobres em cidades grandes. A reportagem esclarece o trabalho de cristãos comprometidos em amparar pessoas consumidoras de drogas na Cracolândia paulista. Um trabalho voluntário de resgate à dignidade humana em comparação com o nascimento do Menino Deus. Em nossa Condeúba, Pe Giuliano está desenvolvendo um trabalho de conscientização da fé. Sua programação tem sido intensiva, na medida em que envolvem pessoas para participar e fazer valer o espírito natalino. Foi assim que, houve o tríduo de Natal na Gruta de Nossa Senhora para maior conhecimento e vivenciamento daquilo que nos relatam as Sagradas Escrituras. Utilizando uma metodologia lúdica, foram apresentados temas bíblicos dramatizados através de jograis, cantos, histórias e espetáculo circense de que nos falam o Natal. A participante Maria da Penha a todos encantou com suas belas e envolventes histórias, obtendo do público presente a devida atenção. Havia sorteio de balaios e entrega de prêmios, deixando nos assistentes a esperança de serem contemplados. Porém, a maior surpresa apareceu na noite da Missa do Galo, dia 24, em que o padre apresentou a homilia por meio de um texto bastante significativo e que requer profunda reflexão. Vale ressaltar, algumas frases: “A PALAVRA DE DEUS SE FEZ CARNE”. Quer dizer, Deus quis sofrer em nossa própria carne nossas perguntas angustiosas, sofrimentos, impotência. O Natal nos obriga a revisar idéias e imagens que temos habitualmente de Deus, mas que nos impedem a aproximar-nos de seu verdadeiro rosto. Nós o imaginamos forte e poderoso, majestoso e onipotente, mas Ele se nos apresenta na fragilidade de um menino. O tento aprofunda bastante onde poderemos encontrar Deus: na oração, no silêncio, na superação do egoísmo, nas lágrimas da criança, na solidão de idosos, nos deficientes, nos consumidores de crack, nos doentes, nos trabalhadores,  nas pessoas... Então, o Natal verdadeiro é isso, no entanto, longe de ser uma festa triste, é bom que tenhamos alegria, luzes, músicas, panetones, bolas, árvores, presépios com a presença angelical de Maria, Jesus Menino, José e as figuras simpáticas dos  Reis Magos com seus presentes. A corrida às compras é inevitável. Nesses dias, as pessoas gostam de desfilar com suas roupas novas, braceletes, pulseiras, brincos, sapatos novos e relógios. Vão à Missa, confraternizam-se, Jesus nasceu, que alegria, que maravilha! “Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens por Ele amados”.
AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

UM Comentário

  • 27 dez 2012 | Permalink |

    O Prof. Agnério, brilhante como sempre, nos provocou uma reflexão sobre o natal, sobre o evangelho e ainda sobre alguns hábitos nossos, humanos, precisamos mesmo desse chamamento para reflexão, pois acredito que os valores verdadeiros estão aos poucos se acabando, os valores bonitos e culturais como reizado se distancia de nós.
    Parabens ao prof. Agnerio e a todos os leitores e que tenham todos um ano novo feliz e realizador. “Que Jesus cristo seja presença constante em vossas vidas!”

    “O comentário não representa a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem”

Deixe um comentário

Adicione seu comentário abaixo . Você também pode assinar estes comentários via RSS.

Seu email não será divulgado. Os campos que estão * são obrigatórios.