Guajeru: Unidade móvel do SAMU 192 retoma atendimento em abril

Sem funcionamento desde outubro de 2012, SAMU 192 volta a funcionar no próximo mês prestando à população guajeruenese um atendimento de urgência.

No último fim de semana, 22, 23 e 24 de março, a nova equipe do SAMU 192 – Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – em Guajeru, participou do treinamento ministrado pelo CEMEB – Centro Médico Especializado da Bahia LTDA de Brumado. O objetivo foi capacitar os membros da nova equipe para retomar os trabalhos do SAMU 192 no município, desativado desde outubro do ano passado. A nova equipe, formada por cinco Técnicos em Enfermagem, cinco Condutores e por um Enfermeiro, coordenador, teve aulas teóricas e práticas, inclusive simulações de pronto atendimento.

Segundo o Coordenador do SAMU 192 no município, o Enfermeiro Luis Sérgio Gonçalves, “o treinamento foi bastante proveitoso onde toda a equipe se interagiu e demonstrou condições e habilidades para realizarem um trabalho de qualidade à população guajeruenese”. Sérgio ressaltou que alguns procedimentos ainda estão sendo feitos, mas que no próximo mês a unidade estará em pleno funcionamento.

O serviço é oferecido pelo governo federal brasileiro, em parceria com governos estaduais e prefeituras, com a finalidade de prover o atendimento pré-hospitalar à população. No caso de Guajeru, que conta com uma USB – Unidade de Suporte Básico, as ligações (192) são encaminhadas para a central em Brumado e atendidas por telefonistas que anotam dados do local da demanda, emergência médica ou acidente. O caso então é passado ao médico que faz a regulação médica e este presta orientações relativas aos primeiros socorros e decide os procedimentos que deverão ser tomados.

Segundo o Secretário de Saúde do município, Alípio Sérgio Carlos Garcia, a demora na reativação do SAMU 192 em Guajeru se deve à total situação de abandono na qual a unidade foi encontrada em janeiro de 2013. “Encontramos o SAMU 192 em péssimas condições. A ambulância teve o ser ar-condicionado retirado e até hoje não sabemos onde ele está; os cones de segurança sumiram, o cilindro de oxigênio estava vazio, faltava medicação e as instalações estavam danificadas”, ressaltou o secretário que concluiu: “Desde janeiro não estamos medindo esforços para reativar o serviço, pois sabemos que é de suma importância para a população do nosso município.”

O município recebe um repasse de aproximadamente R$12.000,00 (doze mil reais) que não são suficientes para o custear os gastos com os salários dos condutores, técnicos em enfermagem, coordenador, aluguel, limpeza e segurança da unidade e despesas com a ambulância, sendo necessário uma contra-partida da prefeitura.

Fonte: Informe Cidade

Foto: Aloísio Costa






AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

Deixe um comentário

Adicione seu comentário abaixo . Você também pode assinar estes comentários via RSS.

Seu email não será divulgado. Os campos que estão * são obrigatórios.