Apagão afetou as 417 cidades da BA

queda-de-energia-no-nordeste2Após apagão iniciado por volta das 15h, a energia elétrica foi normalizada em Salvador por volta das 19h30 desta quarta-feira (28), de acordo com a Companhia Elétrica do Estado da Bahia (Coelba), em Condeúba e cidades vizinhas a energia também foi normalizada por volta das 19h30. A concessionária informou que a interrupção do abastecimento no Nordeste do país atingiu todos os 417 municípios baianos.

O ministro das Minas e Energia, Edison Lobão, disse que a causa do apagão foi uma queimada na fazenda Santa Clara na cidade de Canto do Buriti, no Piauí. Segundo o ministério, o blecaute provocou o desligamento de duas linhas de transmissão paralelas e totalizou um corte de carga de 10.900 megawatts.

O ministro informou que as causas da queimada – se foi natural ou provocada por ação humana – ainda estão sendo investigadas. Segundo o ministro, a preocupação inicial foi restabelecer o sistema.

O ministro disse ainda que o apagão atingiu “todo o Nordeste”, mas que o sistema já foi recuperado. No entanto, Lobão disse que há a possibilidade de algumas cidades no interior dos estados ainda estarem com falta de energia.

“As capitais foram reabastecidas em no máximo duas horas, duas horas e pouco. O interior está sendo restabelecido paulatinamente”, afirmou o ministro, que se encontrava no Rio de Janeiro, na sede do ONS.

‘Lamentavelmente acontece’
Lobão negou fragilidade no sistema. “O sistema é bom, é forte, é igual aos melhores do mundo. Queimada provoca esse tipo de desligamento, lamentavelmente acontece. Já aconteceu outras vezes no Brasil e no exterior”, disse o ministro.

O ministro convocou para esta quinta-feira, em Brasília, uma reunião extraordinária do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE), integrado pelas autoridades do setor. Com informações do G1.






AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

Deixe um comentário

Adicione seu comentário abaixo . Você também pode assinar estes comentários via RSS.

Seu email não será divulgado. Os campos que estão * são obrigatórios.