O Verdadeiro Conceito do Evangelho e a Intertextualidade de não Julgar

nao-julges

“Não julguem, para que vocês não sejam julgados.” (Mateus, capítulo sete)

Acho essa uma das partes mais importantes nos contextos fundamentais cristãos que estamos vivendo. Aqui Jesus nos mostra claramente como é fundamental o entendimento e a aceitação do outro, independente de sua crença, de sua condição sexual, de sua ideologia, de seu entendimento teológico, de suas preferências políticas, de seus valores morais e culturais, de seu modo de vestir, de falar, de ser, enfim, independente de qualquer situação, Jesus é o fundamento.

Lendo essa passagem, revi alguns conceitos acerca do que se deve ou não tomar juízo para si, e eu não poderia deixar de falar disso, mesmo não sendo o meu campo de discussão ou de foco literário. Vejo por ai, tanta gente ignorantíssima a respeito do que as escrituras nos ensinam, pessoas carentes da verdadeira mensagem que Jesus nos ensinou e que sempre foi manipulada pelo sistema, interpretada de maneira tendenciosa para alimentar a obscuridade que o ser humano carrega dentro de si…

Às vezes, nós em nosso diminuto estado de consciência espiritual, através de uma prerrogativa religiosa sistematizada nos ostentamos como se fosse o próprio Deus e fazemos juízes de todo tipo, condenando, atirando pedras, afastando e matando as pessoas através de um Deus que não existe e nunca existiu para esse tipo de comportamento e pensamento.

Deus é mais do que imaginamos e podemos expressar ou enxergar. Deus é amor, é compreensão, é aceitação, inteligência e liberdade. Deus é tolerância, é bondade.

Simplesmente não consigo “comprar” essa ideia de um Deus intolerante, de um Deus exclusivo a determinada corrente teológica, de um Deus vingativo, de um Deus interesseiro ou simplesmente de um Deus compensativo. Tudo isso é fruto da sistematização religiosa, no qual eu disse aqui. E Deus não está nas religiões. Não está em templos edificados por homens. Ele está nos corações das pessoas, na consciência de cada um. Tudo é de graça. O conhecimento é de graça, o entendimento também é de graça. Jesus é a graça. Ele veio ao mundo para que pudéssemos ter esse direito. Para que pudéssemos ter a graça dentro de nossos corações. Não há condenação nenhuma para quem escolhe fazer o bem, para quem ama incondicionalmente o outro como a si mesmo, para quem contribui com a paz, seja ela onde e como for para quem leva a verdade às pessoas, independente de sua condição humana, de erros e acertos, de escolhas e atitudes não complacentes com algum “sistema” religioso, político ou cultural.

Para que você tenha uma experiência com Deus não é preciso grandes sujeições que ultrapassem sua capacidade de condição humana, não é preciso necessariamente que você se adéque a uma instituição religiosa, e nem se sujeite a esforços desnecessários no campo espiritual (dogmático ou doutrinário), muito menos que você comercialize sua fé, a experiência com Deus é gratuita, é alcançável a todos, é operante e democrática, no sentido mais amplo dessa palavra.

Nesse capítulo, (Mateus -7), Jesus nos fala da importância de sermos tolerantes uns com os outros, de sermos compreensíveis, de não julgarmos ninguém porque a verdade – aos olhos humanos – é absolutamente relativa. Todos nós somos falhos e errantes, mas sempre achamos acusação onde deveria existir a compreensão. Sempre encobrimos nossos pecados com a prerrogativa infeliz de que o pecado que o meu irmão comete é imperdoável e o meu é absolutamente aceitável. Preocupamos o tempo todo com as superficialidades do outro quando o mais importante em mim eu não encontro, não vejo ou simplesmente não aceito. Vivemos em um estado de hipocrisia sem precedência. Sempre foi assim. O mal está enraizado culturalmente em nosso DNA e o mundo absorve isso como uma retórica de sustentação estabelecida.

Por outro lado, existe o amor que também faz parte de nosso ser, a nossa semelhança com o divino, mas precisa ser semeado, regado, cultivado, para subsistir.

Muitas vezes, deixamos que esse lado negativo sobreponha ao nosso lado bom e isso reflete em todo o universo. Desejos de vingança, traições, intolerância, vaidade, acusações, fanatismo, ignorância, prevaricação, tudo isso é fruto de uma consciência voltada para o mal, de um coração sem uma orientação divina.

É preciso exercitar a humildade, a fidelidade, a simplicidade, a compreensão; é preciso discernimento, perdoar de coração.

É necessário nos libertar das velhas e falsas correntes que chamamos de “CRISTIANISMO” e ressuscitar o evangelho verdadeiro de Cristo em nosso coração. É preciso recuperar as pérolas que lançamos aos porcos e restituir a quem de direito. É preciso nos afastar dos “lobos devoradores” que só querem poder, dinheiro e glória.  É preciso “dedetizar” nossos ouvidos para as heresias e blasfêmias que absorvemos por ai e inclinar os nossos sentidos somente para o que é edificante e construtivo. É preciso erguer nossas construções em rochas solidificadas, não em superfícies de areia que qualquer marola se encarregue de derrubar.

Jesus é a base de qualquer construção. É a pedra principal da esquina. É a arvore da longevidade. Seus evangelhos são filosofias solidificadas para nossa alma viva, é o alimento para nos mantermos de pé.

Não suje as suas vestes com o “anticristismo” propagado desse sistema atual. Há um tesouro escondido por ai esperando que você o encontre. Seja sábio.

Abra o seu coração e diga: venha Jesus, eu aceito! Eu creio!

Que Deus abençoe você, e que ajude você a encontrar esse “tesouro” que é o conhecimento espiritual, sem dependência, sem culpa, sem pretensiosidade, esse tesouro será a verdade para sua libertação.

Um abraço.

Leandro Flores (escritor/poeta)






AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

2 Comentários

  • Fiel à PALAVRA
    20 abr 2014 | Permalink |

    Comentário BLOQUEADO: e-mail falso

  • Celeste Farias
    20 abr 2014 | Permalink |

    Parabéns pela belíssima reflexão, Leandro!

    Grata por este maravilhoso presente de “Páscoa”, Site DDEZ.

    Um afetuoso abraço,

    Celeste.

    http://celestefariasbh.blogspot.com.br

Deixe um comentário

Adicione seu comentário abaixo . Você também pode assinar estes comentários via RSS.

Seu email não será divulgado. Os campos que estão * são obrigatórios.