Maetinga: População protesta contra o tráfego de caminhões com excesso de peso na BA-623 e na área urbana da cidade

Os moradores reclamaam que por não haver fiscalização, as carretas excede o peso peso permitido, acabando com as estradas. Foto: A. Souza / Destaquebahia.com.br

Os moradores reclamaam que por não haver fiscalização, as carretas excede o peso peso permitido, acabando com as estradas. Foto: A. Souza / Destaquebahia.com.br

Preocupados não apenas com os prejuízos e transtornos à infraestrutura urbana, além dos riscos à segurança de pedestres e motoristas da cidade e à recém inaugurada Rodovia BA-623, causados pelo intenso tráfego de veículos pesados na área urbana de Maetinga, principalmente os que fazem o transporte de argila procedente de Presidente Jânio Quadros e destinado a uma fábrica de cimento sediada em Brumado, cerca de trezentas pessoas fizeram uma manifestação de protesto na manhã deste sábado, 5. As lideranças da manifestação que interrompeu o trânsito de veículos na saída da cidade para a BA-623, justificaram o protesto afirmando que o Estado, através da Polícia Militar Rodoviária Estadual, tem sido omisso na fiscalização do peso dos veículos que trafegam pela BA-623 [trecho entre Presidente Jânio Quadros e o Distrito de Vila Mariana] e BA-262/BR-030 [entre o Distrito de Vila Mariana e a sede de uma indústria cimenteira em Brumado], resultando em danos às Rodovias, principalmente a BA-623 recentemente inaugurada, e colocando em risco a segurança de motoristas e usuários dos trechos rodoviários. carreta com excesso de peso ba-263 Segundo informaram, em média, quinze caminhões pesados - com nove eixos - trafegam diariamente entre Presidente Jânio Quadros e Brumado, passando pela área urbana de Maetinga, transportando cada um cerca de 75 toneladas de argila por viagem. O excesso de peso transportado, ressaltaram as lideranças do protesto, além dos riscos à segurança da população e dos prejuízos causados à infraestrutura urbana, têm danificado a pista de rolamento da recém inaugurada BA-623, que já apresenta buracos em alguns trechos. Ressaltaram, ainda, que tem sido comum, em razão do excesso de peso transportado, que os caminhões carregados de argila não consigam concluir alguns trechos de aclive mais acentuados entre Presidente Jânio Quadros e Maetinga, que exigem manobras arriscadas dos condutores. Durante a manifestação, foram colados cartazes de protesto em caminhões que foram impedidos de continuar trafegando e os participantes do protesto prometeram realizar novas ações caso não haja o efetivo controle do peso transportado pelos caminhões que trafegam pela BA-623 por parte da Polícia Militar Rodoviária Estadual. Fonte: Jornal do Sudoeste
AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

Deixe um comentário

Adicione seu comentário abaixo . Você também pode assinar estes comentários via RSS.

Seu email não será divulgado. Os campos que estão * são obrigatórios.