Condeúba: Secretaria de Saúde realiza campanha nas escolas contra a hanseníase e verminoses

Por: Dermeval Filho

campanha contra hanseniase e verminose com alunos em condeuba (3)

Fotos: Dermeval Filho – Portal da Transparência | Gov de Condeúba

A Prefeitura do Condeúba por meio das Secretarias Municipais de Saúde e de Educação aderiu à Campanha Nacional contra Hanseníase e Verminose com o objetivo de investigar os sinais e os sintomas da hanseníase em alunos da Rede Pública Municipal de Ensino.

A campanha tem como parte do procedimento, o recebimento de uma ficha de triagem, que será enviada aos pais ou responsáveis e os casos suspeitos de hanseníase serão encaminhados à rede básica de saúde para confirmação e posteriormente tratamento. Os pais ou responsáveis deverão inspecionar os seus filhos e marcar na imagem a existência de alguma mancha.

campanha contra hanseniase e verminose com alunos em condeuba (4)

Para a verminose, é disponibilizado o medicamento Albendazol de 400mg que será administrado através dos Programas Saúde da Família (PSF), sendo nessa primeira parte da campanha disponibilizada a primeira dose do medicamento (um comprimido). A ação acontece no mês de agosto em duas etapas, com a segunda parte da campanha após 15 dias, coordenada pela Secretaria Municipal de Saúde, proporcionando atendimentos a estudantes, entre crianças e adolescentes.

Os profissionais de saúde dos PSFs em Condeúba estão divididos entre as várias escolas com o apoio dos profissionais da educação buscando identificar os casos de hanseníase através da utilização de formulários de mapeamento de lesões, ao mesmo tempo em que administram o Albendazol contra verminoses.  A estratégia é voltada para as crianças que se enquadrarem na faixa de 5 a 14 anos de idade, e que estiveram frequentando as escolas, tendo em mente que quanto mais cedo o diagnóstico da hanseníase mais eficaz será seu tratamento.

Fonte: condeuba.ba.gov.br






AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

Deixe um comentário

Adicione seu comentário abaixo . Você também pode assinar estes comentários via RSS.

Seu email não será divulgado. Os campos que estão * são obrigatórios.