Obras raras da Biblioteca Pública do Estado podem ser consultadas

Foto: Amanda Oliveira/GOVBA

Fotos: Amanda Oliveira/GOVBA

O acervo da Biblioteca Pública do Estado da Bahia, em Salvador, reserva espaço especial para a história e memória do Brasil, do estado e da própria instituição fundada em 1811. O setor de obras raras dispõe de 60 mil volumes, incluindo exemplares e coleções preservadas há mais de dois séculos. O acervo tem acesso restrito e está disponível para pesquisas e consultas locais por meio de agendamento prévio. Entre as raridades estão obras trazidas ao País pela Família Real portuguesa e acervos pessoais, como o do jornalista e colecionador de arte baiano Odorico Tavares. O original de uma edição limitada de luxo do livro ‘A Dama de Espadas’, de Alexander Sergueievich Puschkin, totalmente impresso em seda e personalizado, é o destaque do acervo doado pelo jornalista. obras raras biblioteca publica do estado bahia 01 Clássicos da literatura Também podem ser consultados na biblioteca exemplares de ‘Chronica do Emperador Clarimundo’, do português João de Barros, publicado pela primeira vez em 1520, além de clássicos da literatura nacional, como ‘Menino de Engenho’, de José Lins do Rego, disponível em edição que teve tiragem de apenas 120 exemplares, com ilustrações de Cândido Portinari. Há ainda curiosidades como o Hino Nacional ilustrado e miniaturas de livros e dicionários. A diretora da biblioteca, Ivana Lins, recorda o esforço ao longo dos anos para preservar todo esse acervo, que resiste ao tempo e a episódios como o bombardeio sofrido por Salvador, em 1912, e um incêndio na década de 50. “A biblioteca passou por várias sedes, desde o Terreiro de Jesus até a atual nos Barris, além das reformas. Isso tudo requer muito cuidado no manuseio e, por isso, a limitação de quem vai tocar esses livros e de que modo”. Fonte de conhecimento  Na área de periódicos, os pesquisadores encontram arquivos dos principais jornais e revistas brasileiros, incluindo os números iniciais do Correio Braziliense, primeiro jornal do País, e do Idade d’Ouro, pioneiro da imprensa baiana. A pesquisadora Tatiane Ferreira tem nos registros uma fonte essencial ao trabalho que desenvolve para o doutorado em Letras. “Esse espaço é de suma importância para o pesquisador e para os estudantes. São registros históricos e culturais de um povo, de uma cidade, uma fonte de conhecimento que precisa ser preservada”. Comemorando os 204 anos de fundação neste mês de maio, com uma exposição no terceiro andar, a Biblioteca Pública oferece ao público um catálogo com obras infanto-juvenis, empréstimo e consulta para pesquisas e referências, além do setor de livros em braille e espaços destinados às atividades de artes, audiovisual e salas de estudos. biblioteca publica do estado bahia Visitas guiadas Se preparando para o vestibular, a estudante Vitória do Carmo utiliza a biblioteca para estudar em grupo com colegas do curso preparatório. “É um local em que a gente pode se concentrar mais, tem livros que em casa não temos e obras literárias que caem no vestibular”. Também é possível conhecer os espaços por meio do programa Visita Guiada ou Visita Técnica, realizado pelo Núcleo Biblioteca Viva - destinado a instituições escolares/sociais, universidades e frequentadores. Localizada na Rua General Labatut, nº 27, nos Barris, a Biblioteca Pública do Estado da Bahia funciona de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 21h, e, aos sábados, das 8h30 às 12h. Fonte: Secom / GOV BA
AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

Deixe um comentário

Adicione seu comentário abaixo . Você também pode assinar estes comentários via RSS.

Seu email não será divulgado. Os campos que estão * são obrigatórios.