Para fechar contas, prefeito corta até o próprio salário

ademar-delgado

Foto: Marco Aurélio Martins l Ag. A TARDE

Para conseguir fechar as contas no final do ano, o prefeito de Camaçari, Ademar Delgado (PT), cortou em 20% o próprio salário e, em igual proporção, os da vice-prefeita Maria do Carmo Siqueira (PSB), secretários, subsecretários e demais cargos de chefia.

A redução de salários, que vai até dezembro deste ano, faz parte de um pacote de medidas adotado pelo petista para tentar equilibrar as contas, diante de uma queda de quase R$ 30 milhões na arrecadação municipal prevista para o período entre janeiro e agosto de 2015.

Segundo Ademar, estava prevista na peça orçamentária uma arrecadação de R$ 620 milhões nos dois primeiros quadrimestres do ano, mas a administração só atingiu R$ 591 milhões.

“Fizemos um ajuste orçamentário e cortamos na carne. Não teve jeito. Não estamos no caos, mas poderíamos chegar”, afirmou o prefeito.

O corte também vai afetar os cargos comissionados. Nesse caso, haverá redução de 10% a 30% sobre a CET (condição especial de trabalho), gratificação paga aos ocupantes desses cargos.

No total, a prefeitura calcula que, com as reduções salariais e nas gratificações, haverá uma economia de R$ 2,5 milhões até dezembro. Atualmente, o prefeito de Camaçari recebe R$ 16,8 mil mensais, enquanto a vice-prefeita e secretários municipais ganham R$ 15,4 mil.

“Turnão”

A prefeitura também decidiu reduzir o horário de funcionamento dos setores burocráticos da administração – o conhecido “turnão”. O funcionamento será das 8h às 14h. Haverá ainda reavaliação de contratos, diminuição do número de eventos e medidas de refinanciamento para os contribuintes que tiverem pendências tributárias com o Município.

“Tenho que fechar as minhas contas certinhas, ainda mais porque sou auditor fiscal”, afirmou o gestor. De acordo com Ademar, as ações também são necessárias para não haver a interrupção de serviços essenciais ou obras já iniciadas.

“Estou querendo salvar a gestão. Espero a população compreenda”, disse. O prefeito prevê, no total, uma economia de  R$ 47 milhões até dezembro com o conjunto de medidas.

Camaçari já foi o município baiano com a melhor avaliação no Índice Firjan de Gestão Fiscal (IFGF). Foi o que apontou um relatório divulgado em junho deste ano pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), com dados de 2013.

Fonte: Atarde






AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

Deixe um comentário

Adicione seu comentário abaixo . Você também pode assinar estes comentários via RSS.

Seu email não será divulgado. Os campos que estão * são obrigatórios.