Malhada de Pedras: Prefeito explica porque contas foram rejeitadas pelo TCM

ceara-contas-entrevista

Foto: Wilker Porto | Brumado Agora

Em parecer publicado pelo Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), na última quarta-feira (11), as contas do prefeito de Malhada de Pedras, Valdecir Alves Bezerra (PT), o Ceará, referentes ao exercício de 2014, foram rejeitadas. De acordo o relator do processo, conselheiro Paolo Marconi, o prefeito descumpriu os artigos 20, 23 e 66 da Lei de Responsabilidade Fiscal, que tratam da não recondução das despesas com pessoal ao limite máximo de 54%. Com isso, o gestor foi multado em R$ 36.000,00, mais R$ 2.000,00, pelas irregularidades contidas no relatório técnico,  cabendo ainda  recurso da decisão. Em entrevista, Ceará explicou que, devido à falta de emprego em outras áreas, boa parte da população do município busca emprego em setores da Prefeitura e por tentar ajudar a população acabou passando do índice estabelecido. Segundo o gestor, os cerca de 300 contratados pela Prefeitura sobrecarregaram as contas, o que ocasionou a rejeição por parte do TCM. “A rejeição das contas foi devido ao índice de funcionários. Hoje, em cidades pequenas como a nossa, todos querem emprego e com isso acabamos amolecendo o coração, deixando a folha de pagamento crescer e isso acaba prejudicando a gestão. É como o prefeito Aguiberto [Brumado] disse hoje, não há como ele atender a todas as demandas, infelizmente, porque se assim fizer ele estará criando problemas para a administração, referente as contas, como está acontecendo comigo em Malhada de Pedras. Minhas contas foram rejeitadas, porque meu índice foi de 56%, quando eu deveria ter atingido 54%. A Lei de Responsabilidade Fiscal acaba nos prejudicando um pouco e sufocando, principalmente, os prefeitos de cidades pequenas”, explicou o prefeito.

Fonte: Brumado Agora






AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

Deixe um comentário

Adicione seu comentário abaixo . Você também pode assinar estes comentários via RSS.

Seu email não será divulgado. Os campos que estão * são obrigatórios.