A Moça Da Foice

Por: Wandras Rocha Santos

Que mundo é esse?
De sofrimentos e maldades,
De carências e apertos,
De fome e de miséria,
Que mundo é esse?
Onde a moça da foice me rodeia
E tenta me abraçar a todo estante.

Saia de perto de me moça!
Sem sentimentos, sem vocação.
Por que a sociedade não muda?
E agora, quem sou eu neste mundo?
Onde o pobre não tem direitos.
Onde o preconceito governa os inocentes.
Onde a moça da foice está presente…
A politica não é mais política.
A sociedade já não é mais nada.

Cadê  você moça da foice?
Por que me perseguis?
Por que está do meu lado?
Pegando as pessoas para ti.
Mim queres?
Eu sei que estou numa fila invisível
E quando chamar minha senha
Irei de qualquer forma.
Mas para onde?
Sete palmos me cabe?
E os meus sonhos?
Como fica?

Ridículo!
O moça por que não um bandido?
Que te ajuda a levar meus irmãos inocentes,
Para os sete palmos.
Tenho dó do que aconteceu com o mundo,
Hoje eu acordei chorando lágrimas de sangue.
Danada você em moça.
Sofrimentos, dor e agora saudades.
Já não tenho mais sonhos.
Tenho medo de ti!

E a minha senha está perto?
Não mim leve, saia de perto de me com esta foice.
Só mais uma pergunta. Tu amas?
Porque eu sou virgem.
É, virgem de amor.
Más eu amo!
E tem alguém que também me amas.
Pronto então não sou mais virgem.
E tu moça é virgem de amor?

Por tua causa acordei chorando gotas de sangue.
Por que não veio o dia que eu nasci?
Para que eu não precisasse sofrer neste mundo vadio!
Vadio não!  Hipócrita
Quem ti mandou aqui?
Tu tem um dono?
E aquele homem que abraçou e não conseguiu ficar com ele?
Em três dias ele se libertou de ti.
Jesus o nome dele, não é isso?
Por que tu não conseguiu segurá-lo?

Ó Jesus salva-me!
Não deixe que chegue minha senha.
E aquela tua biblioteca Jesus cadê?
Não consigo ler, más quando consigo é impossível parar.
Eu já comecei…
Por que não consigo chorar água?
Para matar a sede dos que sofrem?
Só cai gotas de sangue!

O moça quando for me levar, leve somente a minha alma.
Deixe a carne.
Para que vire carniça para os urubus.
Só não pode levar de me meus sonhos.
Eles, ficarão grudados nos ossos.
Onde ninguém poderá destruir.
Babados?
Sim, babados e lambidos por cachorros selvagens.
Que moram em um mundo selvagem.
Minha alma se foi.
Minha carne se foi.
Mas meus sonhos ninguém levarão.

Quem foi o ferreiro que fez essa foice para você?
Qual parte do meu corpo você vai atingir?
A cabeça, as pernas, o meu olho?
Para!
Stop!
Não quero morrer!
Logo agora que quero ser político, advogado, engenheiro…
A não, pode me levar sou apenas um escritor.
Escritores ganham dinheiro?
Mas para que eu quero dinheiro?

Se a funerária é meus pais que irão pagar?
Eu não quero dinheiro.
Droga! Eu preciso de dinheiro.
Para ajudar os pobres.
Por que ninguém ajuda os pobres?
Comida, casa, emprego, lazer.
Mas eles tem títulos, eles votam.
Por que a moça não leva primeiro os ricos?
Não ver que eles são os primeiro a entrar na festa?
Que festa? Para de pensar em festa.
Não ver que a moça está do teu lado…

morte






AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

Deixe um comentário

Adicione seu comentário abaixo . Você também pode assinar estes comentários via RSS.

Seu email não será divulgado. Os campos que estão * são obrigatórios.