Prefeito de Condeúba não vê tantos prejuízos com a chuva e acredita em um 2016 mais esperançoso

guto-01

Fotos: Expressão Bahia

Mesmo com os problemas causados pelas fortes chuvas que caíram no mês de janeiro em boa parte das cidades do sudoeste baiano, os prefeitos de vários municípios reforçam a importância desse acontecimento para a região. Muitos deles acreditam que o fim do período de estiagem teve muito mais benefícios do que prejuízos por conta do período chuvoso.

Em Condeúba, cidade do sudoeste da Bahia, o prefeito Guto Ribeiro (PT) diz não ser diferente e elenca os problemas como solucionáveis.

“Esse período chuvoso era uma expectativa, as reservas de água do município estavam quase findando. O grande volume de chuvas traz algum transtorno com relação às vias de acesso, estradas e ruas, mas em geral, os benefícios trazidos principalmente no sertão baiano são bem maiores do que os problemas que porventura ela traga. Esses problemas de infraestrutura, nós temos como corrigir, já no caso dos fenômenos que não dependem da gente, como a chuva, é sempre bem vindo. Agora é ver formas de sanar os problemas que se teve e voltar a normalidade”, declarou o prefeito.

Sobre a crise que se abateu em todo Brasil no ano de 2015 e a projeção para 2016, Guto disse estar bastante esperançoso de que dias melhores virão.

“É um momento de superação, difícil para todo mundo no contexto geral. Um ano de readequar os projetos e planejamentos. Crise é uma coisa normal, como se fosse um período de seca, você tem que se readaptar e redimensionar seus esforços, realimentar as prioridades para fazer o enfrentamento. Buscando como objetivo prioritário a satisfação das pessoas em busca de um mundo mais igualitário. Eu vejo tudo isso com naturalidade, é difícil, mas nada que não possa ser superado”, frisou Guto.

Fonte: Expressão Bahia






AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

Deixe um comentário

Adicione seu comentário abaixo . Você também pode assinar estes comentários via RSS.

Seu email não será divulgado. Os campos que estão * são obrigatórios.