Sérgio Silva – Tpm

TPM

Fera indomada, bicho no cio, irreconhecível

é você a cada mês nos dias de fúria.

O doce de menina, se transforma

parece uma criança onde o mundo gira em torno dela.

Egoísmo, propriedade e ciúmes

ofusca sua qualidade e paciência.

 

A estrada da vida parece que cabe só você,

minha companhia de poucas palavras

tenta evitar o desgaste de uma história

construída de lágrimas e sorrisos

desejos, encantos e fantasias.

 

Esses dias você parece distante

num instante percebo um outro lado

uma personalidade forte autêntica passageira,

absolutamente o oposto dessa doçura

dos outros dia que lhe acompanha,

a beleza de uma rara flor especial.

 

Seu corpo sinalizando, querendo

germinar o milagre da vida

mostrando para o mundo

o seu poder de ser mulher.

 

Esse dom místico desvendável

mistério que acontece a cada mês

como fera ferida, fica brava

uma raiva meio contida estampada nas palavras

o avesso, o outro lado da face

no disfarce implora que mim abrace.

 

Sobreviver a tpm não é simplesmente comprar

uma barra de chocolate para a mulher

e um suco de maracujá pra gente,

é compreender e aceitar que todo mês

temos uma missão a cumprir,

atravessar o mar e sobreviver a fúria da ondas.

 

O efeito colateral da tpm, é o mesmo da

solidão quando viaja e mim deixa no abismo

procurando coisas para enganar

a falta que sua ausência faz.

 

Por Sérgio Silva






AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

Deixe um comentário

Adicione seu comentário abaixo . Você também pode assinar estes comentários via RSS.

Seu email não será divulgado. Os campos que estão * são obrigatórios.