Momento político é propício para que cidadão reflita sobre ética

mulher_pensativa

As rádios Nacional da Amazônia, Nacional de Brasília e Nacional do Rio de Janeiro estiveram em rede nesta quarta-feira (23) para falar de ética. No atual contexto político brasileiro, com opiniões muito polarizadas e uma enxurrada de informações, o objetivo do programa foi provocar uma reflexão aplicável a qualquer ouvinte, independente da sua opinião e convicções a respeito dos fatos.

O entrevistado foi o doutor em Sociologia pela Universidade de Brasília e Professor da Universidade Católica de Brasília, Luis Otávio Teles Assumpção.

Ele falou dos conflitos diários entre a ética individual e as escolhas que devemos fazer, que resultam em consequências e muitas vezes em violações de direitos. Segundo Assumpção, no reino animal, apenas os humanos são capazes de fazer essas escolhas com consciência.

O professor acrescentou que o ser humano nasce duas vezes: quando vem ao mundo e quando se encontra com a sua verdade. Mas, infelizmente, em muitos casos, o segundo nascimento só ocorre no leito de morte.

O sociólogo avalia que muita gente deixa de cometer delitos por medo da punição, mas, segundo ele, existe uma outra opção, que é a questão ética, que é quando uma pessoa deixa de cometer delitos independentemente do medo da punição, mas sim por valor.

O professor ressalta que quando se fala em controle, em fiscalização, em chamar atenção, já está implícito que não se tem esse valor, “porque quem tem o valor,  não precisa do reforço, da fiscalização, do controle”.

Ouça a íntegra da entrevista clicando no aqui.

O Tarde Nacional vai ao ar de segunda a sexta-feira, às 16h, na Rádio Nacional da Amazônia. A apresentação é de Juliana Maya.

Fonte: Agência Brasil






AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

Deixe um comentário

Adicione seu comentário abaixo . Você também pode assinar estes comentários via RSS.

Seu email não será divulgado. Os campos que estão * são obrigatórios.