Bancários entram em greve a partir de terça-feira, 6

 

bancarios

Em assembleia realizada na quinta-feira (1º), os bancários da base do Sindicato de Vitória da Conquista e Região decidiram, por unanimidade, dar início à greve por tempo indeterminado a partir do dia 6 de setembro.

Na última terça-feira, dia 30, os banqueiros apresentaram uma proposta de reajuste muito abaixo da reivindicação da categoria, de 14,78%, o que não cobre nem mesmo a inflação do período, projetada em 9,57% para agosto deste ano.

A Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) ofereceu um reajuste salarial de 6,5%, abono de R$ 3 mil e a manutenção das regras de 2015 para a PLR. Além disso, o não atendimento às demais reivindicações como mais contratações e melhorias nas condições de trabalho, motivou a categoria a intensificar as mobilizações e paralisar as atividades nas agências bancárias.

Para o bancário e delegado Sindical do Banco do Brasil, Miguel Ribeiro, a postura da Fenaban diante das demandas apresentadas pelos bancários é desrespeitosa. “Precisamos lutar pela manutenção dos nossos direitos, pois o momento vivido hoje em nosso país é, politicamente, muito complicado. Teremos que lutar bastante para manter a classe bancária, que está ameaçada, e só com a greve podemos ter nosso poder de barganha. Na minha opinião, a proposta feita pela Fenaban foi indecente”, afirma.

O presidente do Sindicato, Paulo Barrocas, convoca todos os bancários para uma nova assembleia na segunda-feira (5) para a organização da greve, caso não haja uma nova proposta que contemple as reivindicações. “Nós vamos nos reunir para organizar o movimento, que precisa contar com a ampla participação da categoria. É importante que todos compareçam para o fortalecimento e unificação do movimento, em busca do atendimento às nossas reivindicações. Só a luta nos garante”, conclui.

Fonte: Nildo Freitas






AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

Deixe um comentário

Adicione seu comentário abaixo . Você também pode assinar estes comentários via RSS.

Seu email não será divulgado. Os campos que estão * são obrigatórios.