“É preciso reconstruir pilares que fundamentaram o 2 de Julho”, diz Rui

Foto: Manu Dias/GOVBA

Já são 194 anos desde a Independência da Bahia, mas o orgulho pela conquista só cresce com o passar do tempo. Uma das mais importantes datas do calendário baiano, o 2 de Julho atrai milhares de pessoas para as ruas de Salvador. O governador Rui Costa participa dos festejos, iniciados em frente ao panteão, no Largo da Lapinha, com o hasteamento das bandeiras do Brasil, da Bahia, de Salvador e do Instituto Geográfico e Histórico da Bahia (IGHB).

Para Rui, o contexto socioeconômico atual do Brasil reforça a importância da data. "O 2 de Julho nunca esteve tão atual. O povo baiano consolidou a democracia e a independência do Brasil com o 2 de Julho. Hoje é preciso retomar o crescimento econômico. É preciso retomar o caminho do Brasil. O povo brasileiro já sofreu demais e está exausto; há três anos vivendo uma crise dessa proporção. Chegou a hora da virada. Chegou a hora de reconstruir os pilares que fundamentaram o 2 de Julho", afirmou Rui

Neste domingo, o 2 de Julho pinta as ruas da capital com as cores do estado e do país, atraindo pessoas de todas as idades para o cortejo cívico. Ainda na Lapinha, o governador depositou flores no túmulo do general Labatut, um dos heróis da independência e líder do exército pacificador que garantiu a vitória da Bahia contra as tropas portuguesas na histórica Batalha de Pirajá.

Durante o cortejo, os principais ícones deste capítulo grandioso da história são lembrados e homenageados, desde o início da batalha, em Cachoeira, até a expulsão das tropas portuguesas, em Salvador. Entre eles, Maria Felipa, Joana Angélica e Maria Quitéria. As fanfarras também marcam presença no desfile, tocando clássicos da música brasileira e incentivando a participação popular através das canções.

Repórter: Leonardo Martins

Fonte: Secom/GOVBA

AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

Deixe um comentário

Adicione seu comentário abaixo . Você também pode assinar estes comentários via RSS.

Seu email não será divulgado. Os campos que estão * são obrigatórios.