A aventura de trafegar na BA-265 entre Belo Campo e Condeúba

Matéria extraída do Jornal do Sudoeste

Seguir estritamente a velocidade permitida pela legislação de trânsito vigente, já que praticamente não existem placas de sinalização, se mostra tão ou mais perigoso do que burlá-las nas mais perigosas estradas que cortam o Sudoeste da Bahia. Mesmo quem cumpre as regras sente ao volante o risco que corre.

No trecho, não há acostamento, a sinalização é deficiente, mas sobra mato alto às margens da pista, o que dificulta a passagem de pedestres nas áreas próximas a povoamentos e nas áreas urbanas. Quem é obrigado a utilizar a rodovia, que tem trafego intenso no sentido da BR-116 (Rio Bahia) para Vitória da Conquista, principalmente os motoristas de ambulâncias e vans que transportam pacientes para atendimentos de Saúde, reclama de abandono.

Resultado da inoperância e do descaso do Departamento de Infraestrutura de Transportes da Bahia (Derba) – órgão vinculado à Secretaria do Estado da Infraestrutura da Bahia – não bastassem as condições precárias da infraestrutura do trecho rodoviário, há ainda, para agravar a insegurança dos que por ela trafegam, a presença rotineira de animais nas suas margens e na pista de rolamento.

No último dia 9 de novembro, a reportagem, do JORNAL DO SUDOESTE flagrou vinte animais ao longo do trecho de pouco mais de 88 quilômetros.

Fonte: Blog da Resenha Geral






AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

Deixe um comentário

Adicione seu comentário abaixo . Você também pode assinar estes comentários via RSS.

Seu email não será divulgado. Os campos que estão * são obrigatórios.