Estudante desenvolve teste cego da política

n-tinder-large570

Um estudante de computação do ITA desenvolveu um aplicativo para Android que funciona como uma espécie de teste cego de políticos. Baseado na ferramenta de encontros, Tinder, o programa expõe projetos dos candidatos à Presidência e ao Governo, sem revelar quem é o autor. Ao final, o usuário pode verificar com quais propostas tem mais afinidade.

Uma ferramenta educativa nas mãos do eleitor, o aplicativo Voto x Veto pode ajudar na escolha do seu candidato nas eleições de outubro.

O app elenca propostas que integram o plano de governo de todos os presidenciáveis, apresentado ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O usuário do aplicativo pode curtir ou rejeitar cada uma das propostas apresentadas. É o equivalente a “dar coração” ou “dar x” no Tinder, aplicativo de encontros e relacionamentos.

À medida que o eleitor vai curtindo e rejeitando propostas, o Voto x Veto vai organizando os candidatos por ordem de compatibilidade.

“É ideal para avaliar candidatos de maneira imparcial, já que você avalia as propostas em um teste cego, só sabendo quem é o dono dela após votar”, explica a descrição do app na página da Google Play, a loja de aplicativos da marca.

O blog Start, do Estadão, entrevistou o criador do aplicativo, Walter Júnior, estudante de computação do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), em São José dos Campos (SP).

Ele contou que, quando utilizam o Voto x Veto, “muitos [usuários] descobrem que concordam com um candidato do qual tinham preconceito; outros percebem que não concordam tanto assim com quem eles iriam votar”.

Os interessados em descobrir o candidato com quem têm mais afinidade podem baixar o app na página oficial do aplicativo.

Por enquanto, o Voto x Veto só está disponível para dispositivos Android, mas em breve também será possível instalar em aparelhos Apple.

Fonte: CGN






AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

Deixe um comentário

Adicione seu comentário abaixo . Você também pode assinar estes comentários via RSS.

Seu email não será divulgado. Os campos que estão * são obrigatórios.