Último debate antes do 1º turno é marcado por tensão entre candidatos a presidente

debate rede globo

Foto: Alexandre Durão/ G1

O último debate entre presidenciáveis antes do primeiro turno das eleições, realizado pela Rede Globo nesta quinta-feira (3), foi tenso e repleto de confrontos. Os atritos envolveram os candidatos Dilma Rousseff (PT), Marina Silva (PSB) e Aécio Neves (PSDB), que ocupam os primeiros lugares nas pesquisas de intenção de voto, e também os de partidos chamados “nanicos”, Luciana Genro (PSOL), Levy Fidelix (PRTB), Eduardo Jorge (PV) e Pastor Everaldo (PSC). Em todos os blocos do debate, que durou duas horas e meia, eles fizeram perguntas entre si, com tema livre (dois blocos) e com temas definidos por sorteio (outros dois). A cada pergunta, um deles se levantava da cadeira, se dirigia até o centro do palco e chamava o adversário que queria questionar. Marina Silva chegou a discutir com Dilma fora do ar, após o encerramento do tempo de uma das etapas, depois de a presidente ter afirmado que o diretor de Fiscalização do Ibama durante a gestão da candidata do PSB no Ministério do Meio Ambiente foi “afastado no meu governo por crime de desvio de recursos”. Marina respondeu dizendo que a adversária fala “de forma toda atrapalhada” e continuou a discutir com Dilma mesmo após o som do microfone ser cortado. A candidata do PSB também se confrontar com a presidente quando o tema foi Banco Central. Dilma disse que a adversária confunde “autonomia” com “independência” do BC. “Independência do Banco Central é dar um quarto poder para os bancos”, disse. “Está falando a Dilma das eleições e não a Dilma das convicções, que, por não ter experiência política, confunde os poderes. Autonomia do BC é para evitar que a inflação cresça como está acontecendo no seu governo”, rebateu Marina.

debate rede globo 02

“Quer dizer que uma pessoa que não fez carreira política não pode ser presidente?”, reagiu Dilma. Durante o debate, Marina propôs a criação de um 13º salário para os beneficiários do programa Bolsa Família. Outro embate tenso foi entre Luciana e Aécio, após a candidata do PSOL ter comparado PT e PSDB e afirmado que os tucanos deram origem ao escândalo do mensalão. “Você faz o seu espetáculo sem a menor conexão com a realidade”, disse Aécio. “Quem não tem conexão com a realidade é você, que anda de jatinho […]. Tu és tão fanático da privatização que fez aeroporto e entregou as chaves para o seu tio”, replicou Luciana. “Você não seja leviana, você está aqui como candidata a presidente”, disse Aécio, com dedo em riste, ao que Luciana retrucou: “Você não levante a mão para mim”. O candidato Levy Fidelix teve novo confrontos com a postulante do PSOL e Eduardo Jorge. Luciana lembrou as declarações de Levy contra homossexuais do último debate. “Tu apavorou, chocou, ofendeu e humilhou milhares de pessoas com o teu discurso homofóbico”, disse a socialista. “Não estimulei nada, mentira sua. Tenho meu direito de expressar minha posição cristã”, reagiu Levy. Já candidato do PV disse que o do PRTB “extrapolou todos os limites” e tinha de pedir perdão. “Você não tem moral nenhuma para me falar disso. O senhor propõe que o jovem use maconha, faz apologia ao crime”, disse, em referência ao aborto. “Nós vamos nos encontrar na Justiça quando o MP abrir um processo e estaremos lá como testemunhas”, afirmou Jorge. “Vire sua boca para lá”, rebateu Fidelix.

Fonte: Bahia Notícias






AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

Deixe um comentário

Adicione seu comentário abaixo . Você também pode assinar estes comentários via RSS.

Seu email não será divulgado. Os campos que estão * são obrigatórios.