Licínio de Almeida: Falso advogado preso usava registro da OAB de carioca morta

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Um homem que se passava por falso advogado foi preso em flagrante na cidade de Licínio de Almeida, na região sudoeste da Bahia. De acordo com informações da Polícia Civil, Felipe Rosa da Silva, de 37 anos, natural do Rio de Janeiro, usava o registro de uma doutora em direito já morta e chegou a defender ações trabalhistas contra a prefeitura do município baiano, a cerca de 700 quilômetros de Salvador.

Segundo o delegado Marcos Pinchemel Nascimento, titular da delegacia da cidade, Felipe foi preso na sexta-feira (9), no escritório onde trabalhava, no centro do município, após denúncia de uma cliente que contratou os serviços dele. A mulher que desconfiou do falso advogado é uma das 63 pessoas que foram enganadas na cidade, segundo o delegado.

“Todas os enganados são funcionários da prefeitura de Licínio de Almeida, que contrataram o falso profissional para resolver o problema de um salário que deixou de ser pago por um ex-prefeito da cidade, na gestão passada. Ele se comprometeu a entrar na Justiça para resolver o caso e começou a recolher procurações das vítimas”, afirmou o delegado, em entrevista ao G1.

Conforme a polícia, Felipe receberia de cada cliente uma quantia no valor de R$ 50, para dar agilidade ao processo na Justiça. Depois, segundo o delegado, ele retornaria para o Rio de Janeiro. O falso profissional, no entanto, foi denunciado à polícia e ao fórum do município, que constatou a irregularidade.

“A cliente pediu uma cópia de uma procuração e ele teria se recusado a dar. Foi então que ela desconfiou e o denunciou. O fórum, então, descobriu que o número do registro na OAB [Ordem dos Advogados do Brasil] era de uma mulher do Rio que já tinha falecido”, disse.

No momento da prisão, segundo a polícia, Felipe usava uma farda do Exército e disse aos policiais que era tenente. “Quando o flagramos, ele afirmou que comprou a farda no Rio de Janeiro em uma feira. Quando pedimos a credencial de oficial, ele se negou a dar e, depois, mostrou a falsa carteira da OAB”, conta o comandante Marivaldo Rosa, da Guarda Municipal da cidade, que realizou a prisão do suspeito.

À polícia, Felipe disse que atuava como falso advogado há quase um ano. Ele está preso na delegacia de Licínio de Almeida e foi indiciado pelo delegado por estelionato e falsidade ideológica.

O G1 tentou contato com a prefeitura da cidade, para falar sobre o não pagamento do salário dos funcionários, referente à gestão passada, mas, até a publicação da reportagem, não obteve êxito.

Fonte: G1






AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

Deixe um comentário

Adicione seu comentário abaixo . Você também pode assinar estes comentários via RSS.

Seu email não será divulgado. Os campos que estão * são obrigatórios.