Presidente da Câmara de Maetinga é conduzido à delegacia por causa de som alto

Foto: Ilustrativa

Foto: Ilustrativa

O Presidente da câmara de vereadores de Maetinga, Francisco Ribeiro de Lima Júnior, foi conduzido para a delegacia de Brumado, por desobediência haja vista a cidade de Maetinga não funcionar plantão da Polícia civil nos finais de semana, a desobediência ocorreu na noite de sábado dia 14/01/2017, por volta das 20:50min, o presidente da câmara foi advertido duas vezes pela PM para que desligasse o som do seu veículo um Fiat uno Sporting, mas o edil insistia em dizer que tinha um autorização para ligar seu som automotivo na praça Naomar Alcântara, sabendo os policiais que seria impossível essa autorização, pois a resolução do CONTRAN que entrou em vigor em novembro de 2016, proíbe de forma severa som automotivo, na delegacia em Brumado o vereador apresentou um alvará cedido por um setor da prefeitura, vale salientar que o alvará cita encontro de som, mas na praça só tinha o carro do vereador com o som ligado em volume alto.

alvara-encontro-som-maetinga

O Destaquebahia entrou em contato com o vereador Francisco Ribeiro de Lima Júnior na manhã desta segunda – feira (16) e ele deu a sua versão dos fatos. O vereador disse que “Eu estava na praça com os amigos fazendo o ‘esquenta’ do encontro de som automotivo Amigos de Maetinga que aconteceria no domingo. Eu estava com o alvará e apresentei ao policial, mesmo assim ele pediu para que eu o acompanhasse até a delegacia. Como eu pensava ser a delegacia de Maetinga, entrei na viatura, mas, logo após fiquei sabendo que era para Brumado, como eu estava sozinho resolvi descer da viatura e as pessoas que estavam no local, percebendo a injustiça que estavam fazendo resolveram intervir, o que acabou gerando um certo tumulto. Aceitei ir até a delegacia de Brumado, onde apresentei ao Alvará ao delegado com validade do dia 13 a 15, falando do encontro de som automotivo e imediatamente fui liberado; sendo que o próprio delegado demonstrou ter achado desnecessária a ação dos pms” disse o vereador; acrescentando que “Eu jamais iria fazer algo que fosse contra a lei, eu tinha autorização e o evento era voltado para o lazer da própria população e devido a toda essa situação acabei optando por cancelar” concluiu. Com informações do Destaquebahia.






AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

Deixe um comentário

Adicione seu comentário abaixo . Você também pode assinar estes comentários via RSS.

Seu email não será divulgado. Os campos que estão * são obrigatórios.